Instrutoria
Órgãos linfóides

Imagem microscópica da periferia de um linfonodo

Este é um corte histológico de um linfonodo hilar do pulmão. Podemos ver no alto da figura a cápsula do linfonodo (tecido conjuntivo denso), logo abaixo o seio linfático subcapsular e um folículo linfóide (área aredondada mais escura com diâmetro de 1/3 da figura) com o seu centro germinativo (área arredondada, mais clara).

Imagem microscópica de um foliculo linfoide

Visão em grande aumento microscópico de um folículo linfóide. A sua parte periférica é constituida por linfócitos, células pequenas com núcleo arredondado e fortemente corado pela hematoxilina e cujo citoplasma é escasso e indistinto. A parte central é formada por células maiores, com mais citoplasma e núcleos maiores e menos corados, razão pela qual esta área é mais clara.

Zona medular do linfonodo.

Zona medular do linfonodo. Nesta área não há folículos linfóides. Apenas seios linfáticos e macrófagos que, neste caso, contêem pigmento antracótico.

Granulomas no linfonodo.

Nesta área existem alguns granulomas confluentes. Eles são constituídos por macrófagos e células gigantes. Este é um exemplo de resposta celular a um agente agressor, neste caso o bacilo da tuberculose.

Granuloma

Este é um granuloma visto em grande aumento microscópico. É constituído por macrófagos e macrófagos modificados tais como células espitelióides e uma volumosa célula gigante inflamatória. Alguns linfócitos também estão presentes.

Brônquio

O linfonodo visto nas imagens anteriores foi infectado a partir de bacilos originados no pulmão do paciente. Este é um corte histológico do brônquio, onde podem distinguir-se a cartilagem (parte superior esquerda da foto), as glândulas brônquicas (estruturas circulares que atravessam diagonalmente a metade inferior esquerda da foto), músculo liso e finalmente, à direita, o epitélio respiratório.

Mucosa brônquica
Este é um detalhe da mucosa respiratória que reveste os brônquios. Notem os cílios presentes na porção apical das células epiteliais cilíndricas.

Cartilagem brônquica

Cartilagem brônquica, com sua matriz azulada, contendo condrócitos que se alojam em espaços claros. As estruturas arredondadas e azuladas contidas nos espaços claros são os núcleos dos condrócitos.

Glândulas brônquicas

Glândulas brônquicas, produtoras de muco. À direita das glândulas há um vaso sangüíneo contendo hamácias.

Músculo liso do brônquio

Músculo liso do brônquio, formando um arco na porção esquerda da foto, lâmina própria, constituída por tecido conjuntivo e, embaixo na mtedade direita, epitélio respiratório.

Alvéolos pulmonares.

Alvéolos pulmonares preenchidos por líquido de edema.

Alvéolos e pneuócitos.

Parede alveolar na qual podem ser vistos um pneumócito tipo 1 e um pneumócito tipo 2

MALT

O tecido linfóide também está presente na mucosa de diversos órgãos tais como brônquio, intestino, estômago, bexiga. Neste caso, grande quantidade de tecido linfóide está presente, formando até folículos linfóides na mucosa do intestino.

MALT

Vista em maior aumento do intestino com o seu tecido linfóide associado (MALT- Tecido Linfóide Associado a Mucosa)

Baço

Vista em pequeno aumento microscópico do baço. À direita acha-se a sua cápsula, da qual originam-se traves de tecido conjuntivo (trabéculas). Os vasos sangüíneos acham-se dilatados, sem sangue. As áreas de cor mais azulada (mais escura), são os nódulos linfáticos que fazem parte da polpa branca.

Baço

Nódulo linfático, constituido por linfócitos, que envolvem a artéria central. (artéria da polpa branca).

Baço

Polpa vermelha do baço

Baço

Cápsula esplênica, trabécula de tecido conjuntivo e sinusóides esplênicos da polpa vermelha do baço.

Timo

Periferia do timo. Os linfócitos aqui não formam folículos. Dispõem-se em lóbulos separados por traves de tecido conjuntivo.

Timo

Corpúsculos de Hassal, constituídos por células epiteliais do timo.

Rim-GNDA

Às vezes órgãos que não pertencem ao sistema linfóide podem ser acometidos por doenças que se originam na resposta imune. Neste caso vemos um glomérulo renal acometido por processo inflamatório por causa da deposição de imunocomplexos em suas alças caplares. Uma das caracteristicas desta doença é a presença de infiltrado inflamatório (leucócitos polimorfonucleares) no tufo capilar glomerular.

Rim normal

Glomérulo normal. Note que a quantidade de células neste glomérulo é nitidamente menor do que na foto anterior.

Para estudar um pouco mais da histologia dos orgãos linfóides dê uma olhada neste link, Sítio da Case Western Reserve University - Microscopia virtual e aulas. XML-Based Virtual Slide Box for Teaching Histology and Pathology. Em inglês